Translate

domingo, 26 de dezembro de 2010

Um poema de Cecília Fidelli - Com certeza



Papeis com velhos versos
Já estão muito amarelos?
Foram para uma prateleira?
Hoje, pensamentos correm ligeiros.
Só e-mails, torpedos...
É como se não tivéssemos mais endereço postal.
Em instante, escrevo, exponho.
Em instantes recebo.
Mas, o mundo esta mais verdadeiro?
Tecnologia seria remédio para o tédio?
Solução para a solidão?
Hoje, todo cidadão tem pão?
Na essência, o homem abandonou
A hipocrisia, vive mais.
Alegria?
Vou ser honesta com você:
Não abandonei o papel e a caneta
Nem por isso sou infeliz.

(Cecília Fidelli)

Um comentário:

A wild blumen disse...

Como fico aliviada pela enorme energia que Deus deu à Cecília e a capacidade de sempre encontrar motivos para superar o mal. Hoje, num dia em que estou no fundo do poço, espero ter um milésimo de força pra tentar imitar a Cecília. Obrigada, vocês dois por existirem.