Translate

domingo, 30 de janeiro de 2011

O Pato De Botas - Papo de cobra 18

É ruim heim!

Um poema de Cecília Fidelli


Subúrbio do subúrbio.
Grana fazendo falta.

Lutas sagradas...
Desse jeito
a gente perde a razão.
Mas a razão vale ouro,
sonha
com um ponto
bem mai$ alto.
A ilusão alucinada
é o milagre.
Nunca falha.
Cruel.



Cecília Fidelli.

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Aniversário de São Paulo

25 de Janeiro - Aniversário de S.Paulo!
Sempre pronta a receber.
Lá muitos se encontram, mas nem sempre encontram-se.
Simplesmente procuram-se.
A beleza, a grandeza, o progresso atraem.
Assim uma multidão curte, a experimenta
apesar de toda sorte de problemas.
São Paulo aos homens de hoje,
São Paulo aos homens de amanhã.
Muitas chagas.
Muitas esperanças.
Alguns maldirão, outros dirão que são felizes.
São Paulo é como uma mulher bonita, cheia de encantos.
Entretanto, é bom considerar que pode ser só um
a aventura.
(Cecília Fidelli)



MINHA GRANDE E AMADA SAMPA


Eu não sei que eu poderia dizer a respeito dessa cidade que eu tanto amo, a principio tudo pode parecer conversa de ufanista morador da grande Sampa, mas não se trata disso, isso é amor mesmo. São Paulo completa hoje 475 anos, e é o lugar do mundo que eu não troco por nenhum outro, foi aqui que eu aprendi a andar, a estudar trabalhar, foi aqui que eu cresci trabalhei e trabalho e tive minhas coisas. Desilusões e tristezas têm em todos os lugares e nem Sampa tem um antídoto contra isso. Tudo o que eu preciso eu encontrei aqui mesmo em meio a essa selva de pedra, lugar acolhedor e amigo. Cidade cosmopolita que é tem sempre um espaço para quem quer que seja. É um lugar bom de se viver? Não sei, o ser humano é diferente um do outro, posso dizer por mim , Parabéns São Paulo 

 (Laercon J. Santos)

domingo, 23 de janeiro de 2011

O Pato De Botas - Papo de cobra 13

Isso é uma pura verdade

Doce indiferença...



A vida é assim.
Cheia de alegrias,
cheia de contradições.
Algumas utopias aparecem
nesses descaminhos,
desabrochando
antigos sonhos
pra depois rirem da gente.
Mas, como disse Éxupery,
tú te tornas responsável
por tudo aquilo que cativas.
Amanhã ou depois,
você pode ser a vítima,
de alguém que cativou.
Dos sonhos que plantou
e infelizmente,
não regou.

Cecília Fidelli

sábado, 22 de janeiro de 2011

O Pato de Botas - Papo de cobra 12

Pior que é!

Arte escrita de Cecília Fidelli

 

Você é capaz de escrever um poema?
De guardar um segredo?
Tenho que admitir que não consigo sair do lugar comum.
Poesias, poemas, textos...
Tudo o que guardo dentro de mim.
Desforro assim.
Tento me recuperar.
Tento não sonhar...
É uma guerra.
Às vezes venço uma batalha ou outra.
Mas minhas crises poéticas não têm prescedentes.
Têm passado, antecedentes.
Têm presente.
E que ninguém atrapalhe meu caminho.
Porque tem futuro.
Momentos claros ou escuros,
sonho sonos profundos,
poemas que perturbem infinitos...
Nesse mundo de meu Deus.

(Cecília Fidelli)

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

O Pato De Botas - Papo de cobra 11

Eu já...

Cecília Fidelli


Viver é uma aventura,
é sempre mais um passo,
mesmo que seja rastejante.
Constantes alturas, muitos tombos.
As noites...
foram feitas pra mim.
Na verdade, fomos feitas uma pra outra.
Durmo insônias em versos sem fim.
acreditando que estou fazendo a coisa certa.
A vida é um paraíso de embates constantes.
Nos jardins dos meus caminhos,
toda hora é hora de partir.
As noites seguem.
A vida segue,
por isso é que a gente tropeça
e quase sempre... enlouquece.
Se fôsse tudo direitinho,
sem momentos de gritos,
não haveriam chôros
que nos trouxessem sorrisos



(Cecília Fidelli)

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Suicídio ( Um Poema de Cecília Fidelli)



Trancou-se numa câmara de medos.

Depois, tentou uma tática de fuga.

Nem sinal de soluções.

Soluçou.

Assim partiu dessa vida,

sem manter ninguém informado.
Tentaram ressucitá-lo,
não conseguiram e disseram:
- Por enquanto, é só.
Quando recobrou a consciência no espaço,
viu o quanto ele era sem noção.
Tinha apenas trocado de roupa,
vestido o espírito com os tormentos da morte.
Foi quando um anjo afirmou:
- Bem feito.
Vai começar tudo de novo.
Vais renascer na terra
e só vai voltar depois do trabalho,
depois de ter cumprido a contento a missão.
Retorne só, quando for chamado.
Só volte quando realmente,
estiver pronto para "morrer".

(Cecília Fidelli)

O Pato De Botas - Papo de cobra 9

Não tem moral pra nada!

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

O Pato De Botas - Papo de cobra

Papo de Cobra

Ninguém gosta de cobras! Será mesmo? As línguas mais maldosas dirão que quem gosta de cobra é mulher, a bem da verdade se formos analisar os fatos como são e deixando a “maldade” de lado veremos que na historia da humanidade mulher gosta mesmo de cobra, vide o advento adão e Eva onde a Dona Eva apresentou sua amiga cobra a Adão e tendo a como incentivadora comeu do “fruto proibido” e a partir desse momento a cobra e as mulheres tiveram “quem sabe” uma participação especial na historia da humanidade. Lendas bíblicas a parte temos agora o nosso penoso amigo Fagundes, o Pato de botas, conversando com sua amiga rastejante ao longo de seus  vários capítulos, e como não poderia deixar de ser o papo flui bem simpático e extremamente amigável onde os questionamentos do Pato são rebatidos pelo dessa cobra que tem respostas para tudo.
Papo de cobra é mais uma série onde assuntos cotidianos e históricos são tratados com humor e diversão.

Papo de Cobra

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

O Pato de Botas - Friend 4

Ontem, Hoje (Cecília Fidelli)

Nos porões de nós mesmos,
as sobras do que fomos,
do que somos e sabe-se lá do que seremos.
A morte vai nos levar a todos, mas deixaremos alguma coisa.
Quando nos avistarmos na eternidade, talvez vejamos a ponte.
Pontes e mais pontes nos transportam a vários sentimentos.
Nos reportam ao passado, como se a vida fosse vista por um diário.
Voltamos à nossa própria história.
Às nossas próprias histórias.
Às vezes me sinto como se tivesse que rever alguém que eu amo.
Rever, rever e rever.
Ficar.
Isso parece tanto com o que sentia na adolescência.
Com a diferença que agora as coisas demoram muito mais pra acontecer.
Que vontade de fazer tudo andar mais rápido.
Mas, rápida é a saudade, o vazio, ocasiões nada especiais.
Lembrar de tudo o que aconteceu com a chegada de uma esperança,
de uma expectativa de viver outra vez sonhos, renovar o espírito...
Talvez o medo de desaparecer ao longo dos anos se aflore assim,
e isso não é como avistar uma paisagem.
É como ir ou estar em outra paisagem, onde tudo em volta vá parar.
Tempo.
Haja tempo pra recuperar outros tempos.
Mas quando se ascende em nós o sol da vontade, da esperança...
Difícil apagar a luz de um sol tão intenso.
O significado, os valores se transformam de tempos em tempos.
Talvez pareça que porque escrevo, por ser poeta, exagero.
Sinceramente, não sei como as outras pessoas de outros segmentos resolvem isso.
Amanhã, certamente, e eu espero, vou estar me sentindo diferente.
E falar de outras coisas. Melhores. Eu espero.

Cecilia Fidelli

O Pato de Botas - Friend 3

O Pato de Botas - Friend 2

O Pato De Botas - Friend 1

sábado, 8 de janeiro de 2011

O Pato de Botas - Treta

Um pato com um  galo na cabeça...Impressionante!

O Pato de Botas - humanos 2

Ou cinco, ou seis, ou sete, ou oito...

O Pato de Botas - humanos



O Pato de botas, o personagem

Eu precisava ter um personagem do mundo animal, e com isso surge Fagundes, o pato de botas. Esse é o meu mais “novo” personagem com apenas dez anos de idade, sua primeira tira foi feito no mês de Julho de 2000. Eu já havia feito vários rascunhos do personagem só que não havia feito nenhuma HQ dele e depois que fiz a primeira não parei mais.
O pato de botas mora na floresta, cercado por vários amigos do mundo animal, mas também como não poderia deixar de ser tem o seu inimigo particular, o jacaré Jakaroncio que só pensa em devorá-lo.
Vivendo suas aventuras ao lado do seu melhor amigo Luizinho, o pato de botas ainda consegue conversar e argumentar com coisas que ninguém jamais conversaria como alguns seres inanimados que aparecem em seu caminho sendo pedra, impressora, xícara, lata ou o quer que seja, nada disso passa despercebido sem ter uma palavrinha com nosso penoso personagem.
Fagundes, o pato de botas traz consigo uma profunda aversão ao aspecto humano e se pudesse excluiria todos os humanos da face da terra. Inconformado com tudo de ruim que a espécie humana faz Fagundes lanças farpas terríveis contra tudo o que essa raça faz e curiosamente todos os personagens da floresta pensam a mesma coisa.
Durante esses tempos perdi a conta de quantas HQs já foram feita com esse personagem tão nervoso e polêmico.
Eu particularmente tenho mais facilidade de criar historinhas com ele porque qualquer tipo de protesto cai certinho pra ele, o fato dele conversar com tudo sempre nos da possibilidade de falar dos mais variados temas. Sem duvida alguma o pato de botas é um personagem que da muito o que falar.

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

CRISE DE POETA - (um poema de Cecília Fidelli)



Lamentavelmente,

nem todo dia sou poeta.


Tem dias que olho a panela vazia,
inflacionada, cheia de emoções
inflamadas e vejo ...
uma panela vazia.

Ô crise insensível,
que mata o poeta e castra
os artistas, que na realidade da
fantasia, diferenciam o sonho,
da dor.

Cecilia Fidelli.
Do livro: Coisa Nossa   - Baixe o livro no link ao lado   "Coisa nossa"
Editora Opção 2
2002

Carta Para Afras - Psicodrama 5

Cada um com seu psicodrama!

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Carta para Afras, o Personagem

Afras, personagem "central" das tiras
Carta para Afras é o nome de uma série que criei onde alguns tipos humanos urbanos se vêem cercado por situações típicas da cidade grande criando assim um universo de manifestações que são peculiares de cada personagem.
Afras é o nome de um grande amigo meu, escritor, poeta e artista plástico colecionador de discos e também talentoso em varias outras manifestações artísticas. Durante uma época de nossas vidas bem antes de eu ingressar no mundo fanzinístico eu e o Afras trocávamos muitas correspondências, pois, na época não havia os e-mails ainda, as cartas eu imagino que era mais pelo prazer que tínhamos de escrever do que pelo fato das noticia que tínhamos que passar um para o outro, digo isso porque não morávamos tão longe assim um do outro, nossos bairros ficam a pelo menos trinta minuto de ônibus.
As cartas sempre continham conteúdos artísticos como envio de convites para alguma exposição, aviso de manifestações culturais em algum local, ou até mesmo para envio de gibis que líamos muito.
Com o passar do tempo as cartas foram escasseando e para preencher um pouco da falta de assunto eu resolvi enviar algumas HQs tendo nós dois como personagens, essas HQs eu mesmo criava, pois sempre gostei de fazer HQs desde criança, nascia aí às tiras CARTA PARA AFRAS, que foram assim intituladas por mim. O que parecia ser algo apenas passageiro se tornou uma coisa continua, pois ele gostou muito e se divertia com as tosquices semanais que eu sempre enviava pelo correio. Um fato curioso é que eu fazia as historinhas sempre no meu serviço durante uns breves intervalos, então como não dispunha de tempo hábil para fazer algo mais técnico (que eu também sei fazer graças a Deus), forçadamente eu tinha que fazer os desenhos tipo “palito” para acabar logo, e com isso fazia uma HQ em tempo Record de cinco ou seis minutos no Maximo. Terminei tomando gosto pela coisa, passei a produzir mais historinhas em casa e algum tempo depois muita gente passou a conhecê-las.
Carta para afras é uma serie que alia protesto e humor de uma maneira que não fere e não machuca ninguém, afinal o que os personagens falam todo mundo está careca de saber. Já foram produzidas mais de duas centenas de historias do personagem durante esse tempo, uma boa parte estava no meu blog BOCA SUJA THE FANZINE, com o passar do tempo vou tenta colocar todas novamente para quem não conhece passar a conhecer.

Carta Para Afras - Psicodrama 2

domingo, 2 de janeiro de 2011

Carta Para Afras - Psicodrama 1

Psicodrama

Carta para Afras - Psicodrama
Depois de um tempo passando momentos esquisitinhos no Divã nada mais do que agora representar o que poderia ter sido os momentos iniciais pós divã.  Sabemos que os nossos amigos profissionais psicólogos estão longe de ser a porta principal de resolução de todos os problemas e neuras do ser humano, (antes fosse), sabemos sim que  os nossos queridos analistas procuram fazer seu trabalho da melhor maneira possível e em alguns casos até conseguem resultados alem da conta. E foi pensando nisso que criei mais seis tiras contando esses momentos de alivio após passar por uma terapia longa onde muitos assuntos foram aventados.
O ano de 2011 começa agora, e com certeza os acontecimentos cotidianos de cada dia, cada semana e cada mês servirão como fonte de inspiração para que o humor continue fazendo parte do meu estilo de quadrinhos. Divirta-se com Psicodrama.


sábado, 1 de janeiro de 2011

Começa o ano de 2011

Começa mais um ano, e como sempre temos a esperança de que nesse novo momento consigamos realizar se não tudo pelo menos parte do que necessitamos para viver melhor. Eu penso que o que ficou de ruim já não tem como refazê-lo para o bem, no entanto, podemos esquecer o que foi, e recomeçar um novo momento com perspectiva nova e sempre trabalhando para que o que desejamos seja realizado. Particularmente os dois anos anteriores 2009 e 2010 não foram muito bons para mim, passei muitas necessidades nesses dois anos, houve uma razoável retomada de minhas coisas na reta final de ano de 2010, e espero que essa retomada se configure num bom momento pra mim no ano que começa, desejo sinceramente tudo isso a meus amigos que sei que trabalham sempre no cominho do bem. Dificuldade e problemas vários de relacionamentos com certeza surgirão, mas são problemas comuns que devemos contornar e manter o barco sempre no rumo certo. Devemos estar convictos de que de certa forma somos responsáveis pelo momento que vivemos, vamos fazer tudo de melhor hoje para que amanhã estejamos usufruindo de momentos mágicos e memoráveis. Feliz ano de 2011 a todos.