Translate

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Medo

Sempre iremos viver com os nossos medos, sempre teremos medos, acho que isso já é a sina dos humanos. O medo que falo nem são aqueles medos comuns de ser roubado, de bater o carro ou coisas do tipo, existe aquele medo que incomoda e vai nos corroendo aos poucos como se ele estivesse sempre a espreita pra nos atacar. O medo de acontecer algo ruim com quem amamos é o pior de todos, a gente chega até a preferir que aconteça algo com a gente do que com aqueles que amamos tanto como mãe, pai, filhos, afilhados e quando vemos que tudo está bem nos sentimos bem aliviados, só que nunca sabemos até quando isso vai estar bem, e esse é o modo que corrói e nos maltrato no dia a dia.
O medo de tudo. Nós seres humanos ainda vamos conviver com nossos medos durante muito tempo até que um dia quando estivermos bem evoluídos isso não seja mais preciso, mas até esse momento chegar teremos que conviver com esse aperto no coração o tempo todo.

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Velhos antigos


Às vezes eu fico pensando um monte de coisas que parecem ser desconexas, mas na verdade não são. O tempo passa a gente vai ficando mais velho, a paciência às vezes parece sumir, mas vez ou outra ela surge como se surgisse do nada, vale ressaltar que já faz muito tempo que esse negócio de paciência e velhice já não tem mais nada a ver, as problemáticas dos tempos atuais deixaram os velhos da nossa geração já não tão com tanta paciência como tinham os "velhos antigos". Um dia quase perdi a paciência com um antigo amigo que ao me encontrar na rua me perguntou como eu estava e falou dos rock que ouvíamos juntos num passado distante, quando eu disse que ainda continuava ouvindo os mesmos rock ele me disse: "Ainda ta nessa?", confesso que fiquei puto, mas não respondi nada demais, apenas disse que não havia parado de ouvir o que ouvia a 35 anos atrás simplesmente porque não havia mais nada de bom para se ouvir. Compreendi que meu amigo logicamente deve estar em outra, ou virou evangélico ou cresceu e virou "hominho" sei-la o que foi que aconteceu com ele, mas eu estou aqui ainda, tenho meus problemas, mato um leão a cada dia, mas as coisas que gostava de fazer e posso fazer eu ainda faço com todo prazer e curtir meu rockezinho antigo é uma delas, só a paciência que ando perdendo aos poucos mas isso da pra resolver.

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Nomys - falsidade



Eu não sou defensor de nenhuma causa, principalmente dessas bem populares que tem por ai, também acho que algumas causas tem que se primar mais o respeito em primeiro lugar, depois pode se vir alguma reivindicação ou coisa que o valha. O que sei é que existe muita falsidade mesmo por aí.

domingo, 2 de fevereiro de 2014

A vida e seus estranhos caminhos



A vida é bem estranha mesmo, e as vezes esquisita e nos reserva em seus caminhos tantas surpresas que as vezes ficamos de boca aberta. Passamos boa parte de nossas vidas na maioria das vezes trabalhando incansavelmente para que tenhamos com isso melhorias e possamos assim viver o resto de nossas vidas na boa, só que nem sempre nos damos conta de quão trabalhoso tudo isso é, logicamente sabemos que o bem estar social e familiar da trabalho mesmo e é o sonho de todos, mas a vida vai passando tão rápida que as vezes sem perceber estamos numa boa e nem nos tocamos nisso.
Na maioria das vezes o olhar de fora é o mais fácil de perceber o que acontece com a gente mesmo, mas como não podemos e nem conseguimos olhar de fora nós mesmo ficamos perdido em nossos mundo procurando um paraíso perdido que parece que sempre ficará perdido.
Quando passa o tempo as vezes falamos aquela frase: "Eu era feliz e não sabia", talvez essa frase tenha um pouco de verdade, mas mesmo assim fica aquela coisa perdida no ar, não da pra ser feliz e não saber, talvez até não nos importemos muito com nossa felicidade, mas se somos feliz da pra nos mesmos percebermos. Alem de tudo isso como nesse mundo que vivemos tudo é relativo, até a felicidade passa a ser relativa, afinal o que é felicidade para alguns pode não ser para outros. A única certeza é que tudo aquilo que procuramos de bom pra gente e para aquele que nos cerca seja no circulo familiar ou no trabalho é uma coisa valida, na vida a nível que vivemos hoje é impossível encontrar respostas para tudo devemos apenas continuar batalhando e procurando meio de ser feliz e fazer as pessoas felizes.