Translate

terça-feira, 3 de março de 2015

Escrevendo sempre

A algumas décadas atras eu costumava escrever minhas coisas em cadernos que eu comprava e guardava e quando vinha a inspiração ou quando me acontecia alguma coisa que só dava pra desabafar em letras, eu escrevia. Isso foi na minha adolescência e em parte da minha fase adulta. Escrevi muitas coisas, fiz muitas poesia, falei de coisas que só eu mesmo sei. Nunca fui poeta ou escritor, mas a gente tenta, e desabafar com palavras escritas em forma de poemas, textos ou algum tipo de forma literária é muito bom. Produzi vários cadernos desses que tenho guardado até hoje e vez ou outra coloco alguma coisa no meu blog, são coisas antigas e verdadeiras "escritos de um caderno velho". Na verdade hoje em dia nem é preciso mais fazer isso, temos os blogs onde pessoas do meu tipo pode colocar as coisas sem a necessidade de escrever em um caderno. Os blogs funcionam como uma especie de agenda já que não temos uma gana grande de leitores, pelo menos a internet serviu pra isso. Escrever é muito bom, desabafar em forma de letras sempre foi muito bom, talvez seja dessa formula que surgiu grande poetas e grandes escritores, sei que to muito longe disso mas tudo vale muito a pena.

2 comentários:

Provos Brasil disse...

Tudo sempre valerá a pena meu amigo... viver vale muito a pena, apesar deste ódio recente...

Eu também... tenho alguns cadernos, em meio algumas chiclete com banana, inside, circus...

Sei lá, depois dos 30 e poucos parei com as minhas anotações... não sei bem porque, quando casei com 37 foi a vez das minhas leituras, de 30/25 por ano caiu para 5... com 41 veio o meu pivete... e agora chegando as 44 estou colocando tudo em ordem...

E assim segue a vida meu amigo...

Provos Brasil

A Wild Garden disse...

A nossa geração de cadernos de papel em vez de notebooks...